domingo, 6 de março de 2011

Carnaval

Nunca fui muito desse tal de carnaval, acho a euforia demasiada. Talvez pelas experiências de outrora enfim. Mas gosto de algumas coisas, por exemplo acho de uma cultura imensurável os enredos das escolas de sambas, onde as mesmas fazem pesquisas e desfiles em apoteose cada qual mais perto da história que por hora contam. Mas a “folia” colorida e sem um padrão certo, de quatro dias para os mais modestos, tem lá suas peculiaridades que não podem faltar, como, homem vestido de mulher (e há quem goste de se travestir), RS.. apitos, convetes e serpentinas, rei momos, rainhas, porta bandeiras, tudo isso faz parte de um mundo onde as fantasias afloram, e os desejos e tentações que ditam o ritmo. Ao fundo, “marchinhas”, que fazem um trenzinho de gente não parar, máscaras e sombras desfilando, abrem passagem para a orgia. A nudez vestindo-se de luz e purpurina, brilha e desperta desejos e sensações, daquelas que ficam guardadas o ano inteiro as escondidas. Ahh.. Fantasias...Fantasias...Fantasias. Tem gente que se apaixona no carnaval, é verdade, mas outros apenas dissimulam, e dão um tempo nas suas atuais. Juras de amor? Evidente que existem, mas infelizmente, viraram cinzas assim como as lágrimas, os sorrisos e as mentiras, em uma semana depois, num enterro de ossos em que o que vale é viver o presente, lembrar o que passou, mas saber que ano que vem tem mais um carnaval.

“hje eu vo toma um porre, não me socorre que eu to feliz ..” ...

Saudações aos Carnavalescos...



Um comentário:

  1. Clarissa F. Deprá7 de março de 2011 13:22

    Uma visão bastante poética do carnaval como só tu consegues ver rs.
    bjus

    ResponderExcluir