sábado, 3 de outubro de 2009

Das Lições de Vida!

Há poucos dias, não estava muito bem da garganta, resolvi então comprar uns chás de Gengibre (Recomendado para dores de Garganta), dizem os hipocondríacos que além de tomarem coquetéis de remédios para suas doenças, que os chás também são muito eficientes. Baseado nessa tese então, me fui procurar essas tendinhas que tem chás que curam o incurável. Pois bem, a mais conhecida por Santa Maria, é na frente da Igreja Catedral, ali me atendeu uma senhora, muito simpática, logo disse que tinha duas pontes safenas no coração, e que os médicos tinham lhe dado apenas 30 % de vida normal, mas que ela acreditava na medicina dos chás e estava muito feliz assim. Resumindo, - fiquei com vergonha de dizer que eu estava com uma simples dor de garganta. Mas isso era ainda cedo da manhã, tinha um dia para me curar, e fui fazer meus outros afazeres, mas para minha surpresa, essa seria apenas uma das histórias de lições de vidas que escutaria nesse dia, mais tarde um pouco, encontrei uma amiga das antigas, ela estava com uma máscara dessas que muito se usou contra a Gripe Suína, porém o caso dela não era gripe, mas sim uma doença degenerativa, logo me deu um forte abraço e disse que estava muito feliz de me reencontrar tão cedo do dia, horário em que costumava fazer suas radioterapias diárias. Disse que estava cada vez melhor se recuperando daquela doença, e o que realmente me pareceu. Bom, naquela noite ainda, seria um dos mediadores de uma Audiência Pública patrocinada pela Assembléia Legislativa e a Faculdade (FAMES), sobre Direitos Humanos. Nesta Audiência, ou encontro como preferirem, pessoas contariam suas aflições de ter vivido com o vício das drogas, do álcool da prostituição, enfim ..E prestei atenção em cada um que ali relatou talvez os piores momentos de suas vidas com estes problemas todos, e que hoje queriam apenas reencontrar o caminho e voltar a viver normalmente. Conto estes fatos, para exaltarmos a natureza humana, capaz de suportar as mais pesadas cargas de infelicidade sem o desespero radical, como, por exemplo, recorrer ao suicídio. Noto que é tão espantosa a nossa capacidade, digo a humana, de resistir à aflição, que se consegue caber incrivelmente no coração do homem ao mesmo tempo, todo o sofrimento imposto pelo destino, assim como as cargas de felicidades que temos. Portanto, parece então que somos norteados de desafios a superar, e não podemos nunca desistir.

3 comentários:

  1. Rafael "seco" Machado3 de outubro de 2009 14:40

    ...nossa tio Rafa...bela história pra um dia apenas hein...lindas palavras e no final nos reensina algo que já sabíamos mas que na correria do dia-a-dia teimamos em esquecer...não devemos reclamar nunca da vida e sim apenas agradecer...
    parabéns pela postagem..forte abraço
    rafael "seco" machado

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo Pacheco!! Atualmente as pessoas não dão muito valor as pequenas coisas da vida, por "falta de tempo"... Vamos viver e agradecer a nossa felicidade!!!! beijooss

    ResponderExcluir
  3. As cargas que nos são dadas só são dadas pq temos força o suficiente pra suportar e principalmente pra superar. Enquanto a gente tá aqui reclamando de uma simples rinite, tem tanta gente aí passando por coisas q nós nem conseguimos imaginar a dimensão, pq não faz parte do nosso dia-a-dia e mto menos da nossa realidade. São extremos mto distantes.. É triste, mas ao mesmo tempo reconfortante, por estarmos aqui tão cheios de vida e saúde e com tantos amigos e o amor e carinho da nossa família.. e assim como a gente desconhece os piores tipos de sofrimentos, estes q sofrem, mtas vezes nem sabem oq é o conforto e o alicerce de ter uma família e o porto seguro de ter amigos! Mto bem escrito, Pachecão!! Bjoo da tua amiga!! Taís Bolzan!

    ResponderExcluir